Buscar

Minha alimentação

Fala Crazy’s blz??!


Hoje vamos abordar 2 assuntos que foram os mais votados no meu Instagram (@vinnyccrazy).


1ª Alimentação – Transição para o Veganismo – Minhas Motivações e a minha percepção quanto aos benefícios para a saúde e o esporte de alto rendimento.

2º A minha rotina alimentar como atleta Profissional.


Como o assunto “alimentação saudável” (vegetariana/vegana) é algo bem controverso no esporte de alto rendimento, vou começar o texto explicando a minha motivação em seguir tais culturas alimentares, exatamente para que não comecemos uma discussão sobre o que é correto ou não quando se trata de algo tão importante quanto a nutrição em um esporte de endurance como o Triathlon.


O meu motivo em particular vai muito além do esporte, é algo que iniciou no que prezo de mais importante em minha vida, minha família.


Por influência da minha mãe, que há muitos anos pratica e incentiva o vegetarianismo e veganismo no Brasil, meus filhos são vegetarianos desde o nascimento. Foi algo em comum acordo com minha esposa que também há algum tempo segue essa cultura alimentar vegetariana, juntas decidiram que seria uma boa oportunidade de incentivar tal cultura com meus filhos pela proteção aos animais e pela indústria de carnes que vem se tornando cada vez menos saudável. E porque não vegano? Porque no início, por se tratar de recém-nascidos todos ficamos receosos quanto a quantidade de proteína e gordura ingerida para o desenvolvimento saudável da criança.


Sobre a minha alimentação, eu não mudei já no nascimento deles, isso se deu progressivamente, apenas quando minha filha (hoje com 4 anos) começou a ter ciência sobre alimentação e me questionava seguidamente o motivo de eu estar comendo um frango, por exemplo, e me perguntava porque eu estava matando bichinhos e ela não comia.


Foi nesse momento onde eu percebi que estava fazendo algo de negativo para a evolução deles, pois como sabemos, os filhos aprendem do exemplo dos pais, e naquele momento eu não estava cumprindo corretamente o meu papel.


Então fiz uma promessa para mim: “Enquanto eles não estiverem aptos a fazerem escolhas alimentares por decisão própria ou mesmo nunca optarem em comer carne animal eu também não irei fazer.” Fim de papo.


Mas Crazy, como foi essa transição?

Eu realmente não inventei esse modo crazy do dia para a noite, eu sempre fui assim mesmo (tanto que o nome veio de um amigo) e quando eu prometo algo, não importa o que aconteça, eu mantenho minha promessa. Mas confesso que essa promessa no inicio não foi das mais fáceis de se cumprir, principalmente nos primeiros dias, e logo no inicio da transição acho que o 5° dia, eu tinha um treino de 30km de corrida na estrada de terra e no inicio, lá pelo KM 6 mais ou menos, eu comecei a me sentir muito fraco e não conseguia correr nem mais um metro, lembro que me sentei em um canto da estrada e fiquei pensando na carne (risos). Pedi ao Fabiano (amigo que sempre me acompanha nos treinos levando o apoio) a bicicleta que ele estava e fui pedalando até o McDonald’s mais próximo, comi 5 Mc Lanche Feliz e voltei para casa.


Depois, claro que me arrependi e fiquei pensando que aquilo não era possível, era MENTAL e foi ai que fiz a segunda promessa “Não importa o que aconteça em treino eu não como mais carne animal de maneira alguma, se tiver que desmaiar ou morrer que seja.”

Desse dia em diante entendi que eu precisava me alimentar melhor, afim de minimizar a falta da proteína animal em minha dieta, suprí-la de alguma outra maneira e consequentemente não ter eventos negativos como o ocorrido na corrida anterior.

Confesso que mesmo sendo algo radical naquele momento, não foi algo tão difícil de me habituar como pode ser para a maioria das pessoas que se propõem em algum momento de suas vidas a mudarem seus hábitos alimentares. Porque? Porque eu já tinha em casa um cardápio vegetariano elaborado pela minha mãe e minha esposa por anos para os meus filhos. Mas obviamente nenhum deles é atleta de elite e demandam em média a ingestão de 7.000kcal dia. A solução foi começar a estudar sobre o assunto, tirando dúvidas com algumas pessoas e lendo vários artigos. Para minha grata surpresa, descobri inúmeros estudos, principalmente nos EUA sobre o assunto e me inteirei de relatos de atletas que se tornaram vegetarianos/veganos e até um grupamento específico de elite dos Navy Seals (a principal força de operações especiais da Marinha Americana).


A partir dessa busca por conhecimento específico e mais aprofundado sobre o tema, comecei a abrir minha mente para os benefícios de uma dieta totalmente natural, não somente abdicar-me dos males da carne, mas por que não uma imersão nessa era e crença vegana!


Sempre vale a ressalva que, caso alguém esteja lendo isso com a intenção de tornar-se vegetariano ou mesmo vegano, estejam cientes que eu não sou nutricionista e a intenção do blog é somente relatar minha história e o modo Crazy de viver, tenham ciência que cada ser humano é de um jeito e por isso não existe receita única ou receita secreta que servirá para todos, seguindo o que rege a individualidade biológica, o que funciona muito bem para um pode não dar certo para o outro. No meu caso especifico, tornar-me vegetariano foi uma das melhores coisas que já fiz e estou colhendo bons frutos, tanto na minha saúde quando em minha carreira esportiva. A meu ver, um dos grandes motivos para o sucesso e da perseverança quanto ao propósito desse novo hábito, foi ter o apoio da minha família!


Porque eu acho que funcionou tanto comigo?

1º - Uma das grandes certezas que eu tenho sobre o êxito da dieta vegetariana em minha vida foi a melhora significante no meu trato gastrointestinal, durante anos fui acometido por diversos problemas estomacais, inclusive esse é um dos meus motivos para não fazer uso de suplementos com tanta frequência. Outro fator positivo está relacionado a minha digestão, sempre levava muito tempo para processar os alimentos, ainda mais os de origem animal, e isso me atrapalhava a realizar os treinos no final do dia. Felizmente hoje, com a dieta vegetariana e exclusão de produtos de origem animal da minha dieta, sinto uma melhora significativa em minha digestão, o que me deixa sempre pronto e ainda mais motivado para um treino Crazy a qualquer hora do dia.

2ª - Obviamente é normal um atleta de alto rendimento adoecer durante uma preparação, muito devido ao fato de estarmos sempre a beira do limite do corpo, a imunidade tende a ficar comprometida em algum momento da preparação, mas antes da dieta isso era algo muito constante em minhas preparações, muitas vezes não conseguia encaixar 4 semanas sem ser acometido por uma gripe ou uma virose, mas depois do vegetarianismo as coisas mudaram bastante, tenho uma imunidade acima da média nos últimos anos e no corrente ano de 2018 não tive nenhuma semana comprometida por problemas de saúde até agora (Graças a Deus e a essa cultura vegetariana), mesmo tendo um acréscimo considerável no volume de treinos. Analisando os últimos meses, posso assegurar que a única coisa que mudou na minha vida cotidiana foi realmente a alimentação, e estou certo que esse foi o diferencial, pois alguns estudos que analisei falam muito sobre a medicina usada hoje na criação dos animais para abate.


Pela experiência e pelos benefícios de uma vida saudável citados anteriormente, é que eu desejo me tornar vegano, acredito que terei ganhos ainda maiores em relação a minha saúde e consequentemente a minha performance esportiva, mas nesse caso a transição será um pouco mais difícil por se tratar de algo relativamente novo ao meu entender e ao mundo em geral. Ainda não temos um cardápio elaborado nem tenho tanto conhecimento sobre o assunto nutricional para seguir em alto rendimento no esporte, essa transição precisa ser a mais cautelosa possível pois qualquer erro pode representar uma grande perda energética e muscular, o que levaria bastante tempo para recuperar. Por isso, estou acrescendo aos poucos novos hábitos e reduzindo gradativamente alguns nutrientes de origem animal como os Ovos e Queijos (únicos dois derivados de animal que contém na minha alimentação atualmente).


Como o Crazy se Alimenta? O que esse doido ingere para ter tanta energia?


Essas são perguntas recorrentes em minhas redes sociais e resolvi dividir com vocês um pouco do meu dia e minha alimentação:


Meu dia começa impreterivelmente às 4 da manhã (o detalhe é que eu não uso alarme, acordo todo dia as 3:58 por algum motivo que ainda desconheço).

Inicio com 15min de exercícios de meditação e evolução espiritual e logo após uma pequena sessão de CORE ainda no banheiro.


Às 4:30h estou na cozinha para o desjejum, tento fazer uma alimentação simples mas adequada, pois em minhas viagens é difícil fazer algo mais elaborado, então com o passar do tempo fui aprendendo a comer no meu dia a dia tudo que consigo comer na semana da prova e assim não ficar preso a uma “DIETA” eu simplesmente como saudável.


Normalmente nos dias em que a rotina envolve menos de 4h de treinos, eu como 2 bananas com aveia e mel, quando a sessão dura mais de 4h de treinos, eu faço um sanduiche Crazy (2 pães de forma integrais + queijo e ovo) e suco de frutas e um Pré-Treino da ThermoGreen (Veganway)


Durante o Treino: Palatinose (Veganway) Cápsulas de Sal e Energético.

Após a sessão de treinos imediatamente tomo BCAA (VeganWay) e Proteína (VeganWay), vou tomar um banho e logo após um bom café da manhã. Geralmente em torno das 10:30/11h.


- TAPIOCA COM 2 OVOS E QUEIJO, FRUTAS E MUITA ÁGUA.


Quando a sessão é muito longa (7h de bike por exemplo) chego direto para o almoço, mas faço uma boa alimentação durante o treino com frutas e o segredo Crazy (150 g de chocolate todos os treinos).


ALMOCO (13:00h)


- CARDÁPIO SEMPRE VARIADO, MAS BASICAMENTE: SALADA TODO DIA (MUITA SALADA - uma bacia com todos os tipos de vegetais e legumes) MACARRÃO, ARROZ, FEIJÃO, BATATA, MANDIOCA, BATATA DOCE, COGUMELOS, 3 OVOS (SEMPRE), Grão de bico, castanhas, sementes de girassol e abóbora e lentilhas. Não fazemos nada muito elaborado justamente para equilibrar o cardápio em minhas viagens, pois tendo um cardápio mais elaborado a chance de ter uma dieta 100% igual é praticamente nula e esse fato pode de alguma maneira comprometer o resultado, então galera, quanto mais simples melhor.

LANCHE da Tarde (15:00h)


- GERALMENTE ESTOU NO ESCRITÓRIO e preciso de ALGO SIMPLES como FRUTAS, AÇAÍ OU ATÉ MESMO UM biscoito salgado (sticks ou ovinhos) e muito RED BULL para aguentar as demandas da jornada de trabalho.


LANCHE PRÉ TREINO (17:30)


2 Bananas, AVEIA E MEL E UM SANDUÍCHE COM QUEIJO OU SEM dependendo DO treino.

Durante o treino da tarde eu só tomo água pois raramente passa de 2h.


Após a sessão de treinos imediatamente tomo BCAA (VeganWay) e Proteína variada dia a dia (VeganWay)


JANTAR (19:30h)


Mesmo cardápio do almoço (simples) pois como disse quando estou viajando para provas e muito difícil manter qualquer dieta muito detalhada e o corpo vai sentir a diferença e acabar comprometendo a minha performance.


Ah, mas então o que você come na viagem: É simples, eu vou no restaurante e qualquer restaurante no mundo faz um macarrão sem molho ou com molho de tomate, uma salada sem molho ou até mesmo uma pizza.


AS 20:30h JÁ ESTOU DORMINDO, pois a jornada continua no dia seguinte.


Minha suplementação é simples não uso comprimidos manipulados nem nada exatamente por conta de viagem ou provas. Não me preocupo com isso basicamente se eu não levar eu só preciso de Red Bull, Sal, Banana e Gel para as provas. E hoje confio muito na empresa VeganWay por defender a mesma cultura que eu quero para mim.


Com certeza a cada dia aprendo mais, então a cada minuto pode mudar minha alimentação porque ainda não conheço quase nada sobre essa alimentação vegana que estou entrando.


Um abraço a todos os crazys e obrigado pela visita no Crazy World!!



289 visualizações