CARREIRA

Vinícius Canhedo começou sua carreira esportiva no kart aos 11 anos e competiu até os 16 anos, somando mais de 53 troféus de campeão junto de seu treinador Túlio Paiva.


Aos 20 anos voltou ao automobilismo. No final do ano de 2003 correu 2 etapas de F3 Light sagrando-se campeão nas duas. Em 2004 conseguiu fechar uma temporada de Fórmula Renault com a CVC e a Full Time Sports. Vinícius foi vice-campeão iniciante nesse ano e chegou a marcar uma pole-position na etapa de Jacarepaguá no Rio De Janeiro com a volta mais rápida. Ao final da temporada Vinícius não conseguiu renovar o patrocínio e teve que interromper sua carreira no automobilismo.


Em 2005 Vinicius conheceu o ciclismo e começou a praticar por diversão e correr algumas provas amadoras. Ganhou 4 provas no ano como OPEN e conheceu seu treinador André Falcão.


Nos anos de 2005/2006/2007 competiu como ciclista.


Em 2011, já casado, Vinícius voltou ao ciclismo só que ele queria algo diferente e solo, então resolveu fazer provas sem equipe e que dependesse mais dele. Decidiu então participar do Brasil Ride em outubro daquele ano. Uma semana antes da prova, há 2 dias da viagem ele caiu de bicicleta e quebrou o braço esquerdo. Durante os 45 dias de recuperação Vinícius acompanhou os treinos do irmão Daniel para um 70.3 e de seus amigos titulados de 3248 TEAM. Nisso, como ele mesmo diz: “ Vi uma felicidade em atletas querendo apenas completar provas que nunca tinha existido em mim.” Resolveu então começar no Triátlon 45 dias após a fratura no final de novembro, procurou a 1ª prova que tinha no calendário, um XTERRA 10 dias após tirar o gesso, em dezembro de 2011. Vinicius foi o 3º colocado nessa prova em sua categoria 25-29 anos.


Em janeiro de 2012 Vinícius começou a se tornar mais conhecido. Foi um ano extremamente intenso com várias provas de Meio Ironman (6) e seu primeiro Ironman em novembro, em Cozumel, no qual ele foi 4° colocado.


Dois meses antes do seu primeiro Ironman ele venceu sua primeira prova 70.3 em penha, Santa Catarina, categoria 25-29 anos. Essa vitória despertou algo nele que estava adormecido há anos, a vontade de vencer e superar os limites. Ali começou sua promessa de Glória ou Morte. Glória (vencer) ou morte (morrer tentando o destino) o trouxe ao esporte novamente, e dessa vez seria tudo ou nada.  


Na época tinha uma meta antes de se tornar profissional, que era vencer Kona como amador.


Em 2013 conquistou a vaga para Kona como amador e completou a prova em 9 horas e 59 minutos.


Em 2014 Vinícius iniciou o ano vencendo todas as provas que largou e conquistou mais uma vez a vaga para Kona com o recorde amador no 70.3 Brasília e 70.3 Hawaii, onde conquistou a vaga para o Ironman.


Em setembro de 2014, Vinícius, em busca de superar seus limites, vai de bicicleta de Brasília ao Rio de Janeiro como treinamento para o Hawaii, fazendo o percurso em 5 dias e quebrando o recorde existente dessa viagem, que era de 7 dias. Nos últimos dias pegou uma intoxicação alimentar, voltou debilitado, e foi para o Hawaii pela 2ª vez, porém dessa vez não completou a prova.


No ano de 2015 Vinícius resolveu treinar e se tornar profissional, e não viu mais sentido em ficar parado como age group enquanto poderia aprender mais correndo com os melhores do mundo.